Dúvidas técnicas

Para você não errar na escolha e manter o seu revestimento bonito por muito mais tempo, a Cerâmica Portinari conta com diversas dicas que vão desde a escolha até a conservação do produto, tudo para auxiliá-lo da melhor maneira possível.

O que é porcelanato?

Porcelanato é um produto cerâmico declarado pela Norma ISO 13006/NBR13818 com especificação BIa significando material prensado com absorção de água menor ou igual a 0,5%. O porcelanato é obtido a partir de matérias-primas de grande pureza, submetidas a pressões de compactação acima da utilizada nos materiais cerâmicos convencionais, e também um tratamento térmico. O resultado é mais homogêneo, muito denso, vitrificado e mais resistente do que as cerâmicas convencionais, além de ser menos poroso é menos suscetível a manchas e tem um índice de absorção de água muito baixo.

Sua durabilidade é realmente excelente por conta disto. Isso o torna adequado a locais com alto tráfego, como aeroportos, estações ou shopping centers. A diferença fundamental entre o revestimento cerâmico e o porcelanato está na tecnologia que existe por trás da manufatura destes produtos.

O porcelanato possui um processo tecnologicamente mais complicado e um resultado mais controlado do que a cerâmica comum. Ele é feito com uma mistura de porcelana e diversos minerais, passando por uma queima a mais de 1200 graus Celsius.

Os produtos são diferentes para cada local de uso?

Ao escolher um revestimento, considere também as características do local onde será aplicado, como: ambiente interno, externo, com tráfego intenso, em superfície plana, em aclive, declive, ou com necessidade de limpeza frequente. Esse fator irá evitar possíveis problemas futuros como dificuldade de limpeza e segurança, por exemplo.

Como remover a cera protetora dos porcelanatos polidos?

A cera tem como objetivo a proteção da superfície polida do porcelanato. Durante o assentamento do produto podem ocorrer agressões devido à areia, rejunte sujeiras externas, etc.

A cera é aplicada após o processo de polimento sobre a superfície, deixando uma fina camada que torna a superfície fosca. Ela deve removida somente após o produto assentado e rejuntado, e após a finalização de toda a obra. A remoção da cera vai resgatar o brilho do porcelanato. A remoção da cera pode ser feita diretamente com limpa vidros ou detergente neutro, esfregando o produto com uma esponja para cristais (azul).

Alguns porcelanatos polidos possuem uma película protetora plástica, ao invés da cera. Nestes casos, basta retirar o plástico e, em seguida, realizar a limpeza com detergente neutro ou um pano embebido em álcool.

O que é Classe de Uso?

A Classe de uso de um produto está relacionada com seu desgaste a abrasão, ou seja, o desgaste sofrido pelo atrito de solas de calçados ou pneus em contato com sujeira abrasiva sobre a superfície esmaltada do revestimento cerâmico. É uma das características mais importantes na hora de comprar um produto.

É importante escolher de acordo com o local de uso, pois a escolha da Classe de Uso adequada pode proporcionar beleza e maior vida útil ao revestimento. Do contrário, a escolha inadequada pode condenar um produto de alta qualidade a uma vida muito curta.

Classe de uso 1 :: Uso em paredes.

Classe de uso 2 :: Uso em banheiros e quartos residenciais.

Classe de uso 3 :: Uso em dependências residenciais sem comunicação para o exterior.

Classe de uso 4 :: Uso em todas as dependências residenciais.

Classe de uso 5 :: Uso em todas as dependências residenciais e ambientes comerciais de tráfego médio.

Classe de uso 6 :: Uso em todas as dependências residenciais e ambientes comerciais de tráfego intenso.

O que é ataque químico?

Embora os revestimentos possuam alta resistência, o ataque químico é um desgaste ou corrosão provocada pelo uso inadequado de materiais de limpeza. Este processo torna o revestimento poroso, causando perda de brilho e manchas foscas, tanto pontuais quanto em sequência.

O ataque químico é irreversível. A solução é a remoção e a substituição das peças danificadas.

Onde devo usar produtos antiderrapantes?

Os produtos antiderrapantes são indicados para áreas externas, expostas à chuva e umidade, ou àquelas que precisam oferecer maior segurança ao caminhar. Porém, a superfície mais áspera dos antiderrapantes, que evita o escorregamento, também acaba influenciando na sua limpeza.

O ideal é usar saponáceo em pó e uma escova de cerdas duras para lavar este tipo de revestimento. É uma limpeza um pouco mais pesada, por isso os porcelanatos antiderrapantes não são indicados para locais onde a limpeza precisa ser frequente.

Quais os cuidados com produtos acetinados?

A limpeza dos produtos acetinados é simples. Deve ser feita com água e detergente neutro, esfregando levemente com pano ou esponja.

Um cuidado importante: não é recomendada a utilização de rejuntes Epóxi neste revestimento.

O processo de aplicação ou remoção do excesso deste produto pode deixar as peças com brilho nas laterais, formando uma moldura.

Pode utilizar Água Sanitária nos revestimentos?

A água sanitária é um produto de limpeza muito popular principalmente na manutenção de banheiros e cozinhas. Contudo, se a água sanitária for utilizada pura vai atacar quimicamente manchando o revestimento cerâmico.

Para a limpeza geral do ambiente com água sanitária é necessário diluir na proporção 3 por 1, ou seja, 3 litros de água para 1 litro de água sanitária, por exemplo.

A água sanitária só pode ser utilizada diluída nesta proporção, pois pura ela ataca o revestimento.

Como assentar produtos com alta variação de tonalidade ou com Infinity design?

Algumas coleções apresentam variação de tonalidade proposital, a fim de reproduzir a mesma riqueza de detalhes encontrada nos materiais naturais que inspiram as mais diversas coleções e proporcionar ambientes harmoniosos e com personalidade.

Essa variação de tonalidade possui uma classificação, sendo:

V1 – aparência uniforme

V2 – variação baixa

V3 – variação moderada

V4 – variação alta

O melhor resultado será conseguido por meio de uma boa distribuição do produto, mesclando peças de diferentes caixas, em função das variações de tonalidade. Abra quatro ou mais caixas e pegue uma unidade de cada, assentando sequencialmente as peças. Prossiga da mesma forma com novas caixas, até finalizar o assentamento.

Para paginações com transpasse, siga a mesma orientação. Não esquecendo que o transpasse deve ser de, no máximo, 30% do comprimento da peça. Enquanto a variação de tonalidade trata das cores, a variação visual lida com os diferentes desenhos em uma mesma coleção. Alguns tipos de revestimento apresentam uma variação visual ocasionada de forma intencional, que agrega grande valor ao produto.

O chamado infinity design é um efeito marcante, contínuo e padronizado, conseguido por meio de tecnologia de ponta. O resultado é a composição de peças diferentes umas das outras, com desenhos singulares dentro das características de cada linha, proporcionando visual arrojado.

É tendência para a decoração de espaços diferenciados, que ganham personalidade e estilo com os detalhes exclusivos em cada peça. Para assentar siga o mesmo procedimento apresentado anteriormente.

Como prolongar a vida útil dos revestimentos?

1 – Proteja os pés dos móveis com carpete ou feltro evitando danos ao material em caso de contato com areia.

2 – Utilize capachos nas portas com ligação direta com a rua, garantindo que o excesso de sujeira abrasiva impregnada nos calçados seja removida.

3 – Em ambientes com grande fluxo de pessoas que possuem porcelanato polido, além do capacho orgânico, faça uma espécie de capacho cerâmico com revestimentos acetinados próximos as áreas de acesso, possibilitando uma transição até o material brilhante, aumentando assim a durabilidade dos revestimentos.

4 – Evitar a queda de objetos pesados ou pontiagudos que podem provocar lascas na superfície esmaltada dos revestimentos.

5 – Manter os revestimentos sempre limpos, isentos de sujeiras abrasivas.

6 – A água sanitária é um dos produtos mais comumente utilizados para limpeza de revestimentos, principalmente nas áreas molhadas da casa como cozinhas, banheiros e áreas de serviço, porém quando utilizada sem diluição, pode danificar o revestimento. Recomenda-se diluir na proporção de uma parte de água sanitária para três partes de água, garantindo assim uma manutenção eficiente e segura.

7 – A utilização de vinagre branco de álcool associado ao saponáceo cremoso (CIF) possibilita uma limpeza eficiente, removendo manchas provenientes de diversas origens: rejuntes, gorduras, alumínio.

O que é PEI?

PEI – Resistência a Abrasão

PEI 5 – Uso em todas as dependências residenciais e ambientes comerciais de tráfego intenso.

PEI 4 – Uso em todas as dependências residenciais e ambientes comerciais de tráfego médio.

PEI 3 – Uso em todas as dependências residenciais.

PEI 2 – Uso em dependências residenciais sem comunicação com o exterior.

PEI 1 – Uso em banheiros e quartos residenciais.

PEI 0 – Uso em paredes.

Quais os produtos para churrasqueira?

Para revestir a churrasqueira por fora podemos usar qualquer porcelanato, no contato com o fogo os indicados são os tijolos refratários amarelos, de alta alumina, separados da estrutura da churrasqueira por uma placa isolante de lã de rocha.

As argamassas colantes para churrasqueira devem ser elásticas, do tipo AC-2 ou AC-3. A churrasqueira deve ser isolada com uma junta elástica de união/dessolidarização (poliuretano flexível sobre tarugo celular, por exemplo)

Deste modo, a área da churrasqueira aquece e esfria tudo que for necessário, sem afetar o entorno e sem encostar rigidamente contra ele.

O que é absorção d’água?

A absorção de água de uma peça está relacionada a sua resistência mecânica. Quanto menor a absorção, menos espaço há entre as partículas para que a água penetre na peça.

Essa característica garante:

  • Alta resistência mecânica, suportando cargas pesadas, mesmo com menor peso e espessura que as pedras naturais.
  • Alta resistência ao gelo, podendo ser utilizado em locais com climas muito frios.
  • Baixíssima expansão por hidratação, não descolando se forem bem assentados. Os revestimentos cerâmicos estão classificados com relação ao grupo de absorção de acordo com a Norma NBR 13817/1997.

Como cortar o porcelanato?

Para cortes retos, com largura igual ou superior a 10 cm em peças com formato menor ou igual ao 60×60, pode-se utilizar o cortador para cerâmica, mas a wídia deve estar bom estado de conservação. para realizar o corte: efetua-se um risco único e firme sobre a peça (com o auxílio de um riscador) e depois efetua-se o corte normal.

A utilização do disco da makita (a 86-337) deve ser recomendo para recortes e cortes estreitos e/ou cortes em peças com formato acima de 60×60, os cortes devem ser realizados em até 5cm da borda do revestimento. Para furos utilizar broca diamantada.

É muito importante utilizar o disco e broca certa para ter acabamento perfeito. Para furar o porcelanato necessitamos de uma técnica diferenciada e de materiais especiais. Por isso, orientamos que procure uma equipe técnica especializada para a execução de serviços (assentamento, cortes e furos) em porcelanato.

Existe porcelanato esmaltado e sem esmaltar?

Sim. Existe os dois tipos: o porcelanato esmaltado, que é aquele que recebe uma camada de esmalte na superfície, e o porcelanato técnico ou massa plena, é aquele que o acabamento na superfície do produto é feito diretamente na sua massa.

O que significa Bold e Ret?

Bold e Ret são diferentes tipos de acabamentos que conferem as dimensões finais de uma peça.

Os produtos com acabamento Ret, após a queima da placa, passam por um processo de corte em suas laterais feitos por rebolos diamantados que garantem dimensões finas e precisas, permitindo um total alinhamento durante o assentamento.

Um produto Bold, é aquele que não passou pelo processo de corte em rebolos, por isso suas laterais ficam abauladas. Estes produtos devem sempre ser assentados com juntas mais distantes que os retificados.

Podemos usar porcelanatos em paredes?

Sim. Além dos revestimentos específicos para paredes, os porcelanatos também podem ser aplicados neste local.

Como fazer a limpeza pós-obra?

Para a remoção de rejunte à base de cimento e argamassa recomenda-se utilizar vinagre branco em até 30 minutos após aplicação do rejunte. Ele dissolve o excesso destes produtos num tempo médio de 15 minutos.

Em seguida, basta passar uma esponja (de preferência esponja azul especial para cristais, para não riscar) com um pouco de saponáceo em pó, enxaguar com bastante água e secar com um pano limpo.

Para a remoção de impermeabilizantes ou cera, a indicação é detergente neutro, ou os removedores de cera próprios para esta finalidade, existentes no mercado.

Nunca utilize produtos que contenham ácido para tentar limpar revestimentos cerâmicos, pois atacam quimicamente o produto.

Obs.: Em qualquer tipologia de produto não se deve utilizar sabão em pó, pois cria uma película e facilita a aderência de sujeiras.

Como fazer a limpeza diária?

Os revestimentos cerâmicos são sinônimos de praticidade e facilidade de manutenção. Para a limpeza diária, recomenda-se primeiramente fazer a limpeza a seco, aspirando ou varrendo e em seguida limpar com água e detergente neutro.

Em casos de sujeiras de difícil remoção pode-se utilizar saponáceo cremoso. Os revestimentos cerâmicos podem apresentar diversos tipos de manchas, sendo possível removê-las com o uso do produto adequado para cada mancha.

No quadro a seguir, são listados alguns exemplos para facilitar a limpeza de acordo com a origem da mancha:

Mancha Produto adequado para remoção da mancha
Graxas, óleos, cola, gordura Água quente e detergente neutro
Tinta Removedor de tintas aplicado com um pano, nunca jogar diretamente sobre o produto.
Ferrugem, café, cerveja, vinho Água sanitária diluída em água, na proporção de 3 por 1 – sobre a mancha por 15min + saponáceo cremoso
Tinta de caneta, grafite Acetona
Marcas de pneu, borracha Aguarrás ou saponáceo cremoso
Lápis Borracha ou saponáceo cremoso
Risco de alumínio Água sanitária diluída em água por 15min + saponáceo cremoso
Terra vermelha em produtos antiderrapantes Água sanitária diluída em água, na proporção de 3 por 1 – sobre a mancha por 15min + saponáceo em pó com escova de cerdas duras
Terra vermelha em produtos polidos Água sanitária diluída em água, na proporção de 3 por 1 – sobre a mancha por 15min + saponáceo cremoso com o lado macio da esponja
Terra vermelha em produtos acetinados ou esmaltados Água sanitária diluída em água, na proporção de 3 por 1 – sobre a mancha por 15min + saponáceo cremoso, com o lado áspero da esponja
Excesso de rejunte à base de cimento e argamassa Vinagre de álcool por 15min + saponáceo cremoso
Rejunte Epóxi Removedor de tinta epóxi, pasta automotiva ou vinagre
Excesso de impermeabilizante Limpa-vidros ou detergente neutro
Batom Acetona, benzina
Sangue Água oxigenada
Gordura do corpo (box do banheiro) Vinagre de álcool + saponáceo cremoso

* Repetir o processo quando necessário, ou se a mancha não for totalmente removida na primeira tentativa.

Qual a argamassa utilizada para o assentamento de porcelanato?

Use argamassas de tipo AC-3 e AC-3E, conforme a norma brasileira NBR 14081, que especifica as argamassas colantes. Não use para porcelanato argamassas com ligação a base de cimento.

Motivo: o porcelanato tem absorção de água quase zero, menor que os outros revestimentos. As argamassas convencionais de cimento não servem para colar porcelanato, como também não servem para colar vidro ou plástico.